Da raiva pelo amor.


A substituição da raiva pelo amor.

Nunca havia estado em lugar mais desconfortável, mais sem paisagem... como agora, nesta data. Como hoje... neste instante. No auto da espera de qualquer cidade. Qualquer pensamento distante... Ater demais para uns; demais; iluminada e úmida. Niger demais, demais... demais mesmo. Niger demais para os outros. No encalço de alguma outra história, noutro tempo.


Nunca havia estado em lugar mais isenta. Como antes... como ontem. Porque hoje sou mural de muitas dádivas. Sou projeto de vida. E saudade, sabe? Saudade muita... muita saudade, muita... e mais nada.